Domingo, 31 de Outubro de 2021

Recordando... Irene Lisboa

MONOTONIA

 

Começar, recomeçar, interminamente repetir um

monótono romance, o romance da minha vida.

Com palavras iguais, inalteráveis, semelhantes,

insistir sobre o cansaço e a pobreza disto de viver...

Andar como os dementes pelos cantos a repisar

o que já ninguém quer ouvir.

Levar o meu desprecioso tempo à deriva.

Queixar-me, castigar e lamentar sem qualquer

esperança, por desfastio.

Pôr a nu uma miséria comum e conhecida, chã-

mente, serenamente, indiferente à beleza dos temas

e das conclusões.

Monotonamente, monotonamente.

 

Monotonia. Arte, vida...

Não serei ainda eu que te erigirei o merecido altar.

Que te manejarei hábil e serena.

 

Monotonia! Gume frio, acerado, tenaz, eloquente.

Sino de poucos tons, impressionante.

Mas se te descobri não te vou renegar.

Tu ensinas-me, tu insinuas-me a arte da verdade,

a pobreza e a constância.

Monotonia, torna-me desinteressada.

 

In “Um dia e outro dia… Outono havias de vir”

Editorial Presença

 

Irene Lisboa

(1892-1958)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Segunda-feira, 25 de Outubro de 2021

Recordando... Pedro Tamen

NÃO SEI, AMOR, SEQUER, SE TE CONSINTO

 

Não sei, amor, sequer, se te consinto

ou se te inventas, brilhas, adormeces

nas palavras sem carne em que te minto

a verdade intemida em que me esqueces.

 

Não sei, amor, se as lavas do vulcão

nos lavam, veras, ou se trocam tintas

dos olhos ao cabelo ou coração

de tudo e de ti mesma. Não que sintas

 

outra coisa de mais que nos feneça;

mas só não sei, amor, se tu não sabes

que sei de certo a malha que nos teça,

 

o vento que nos leves ou nos traves,

a mão que te nos dê ou te nos peça,

o princípio de sol que nos acabes.

 

In «Tábua das Matérias - Poesia 1956-1991»,

Tertúlia - 1991

 

Pedro Tamen

(1934-2021)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Terça-feira, 19 de Outubro de 2021

Recordando... Glória de Sant'Anna

RECADO

 

Se eu morrer longe

sepulta-me no mar

dentro das algas ignorantes

e lúcidas.

 

Cobre o meu rosto de palavras

antigas

e de música.

 

Deixa em meus dedos

a memória mais recente

de outras coisas inúmeras

 

e nos meus cabelos

o incerto movimento

do vento e da chuva.

 

Eu vogarei sob as estrelas

com pálidas luzes entre os cílios

e pequenos caramujos

entrarão nos meus ouvidos.

 

Estarei assim idêntica

a todos os motivos.

 

In “Música Ausente”

 

Glória de Sant'Anna  

(1925-2009)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quarta-feira, 13 de Outubro de 2021

Recordando... Rosa Alice Branco

REPETIÇÃO DO DESERTO

 

Atravessar o deserto em círculos incandescentes

repeti-lo até à proximidade do que se anula

é dar-lhe um rosto.

Não a pura evanescência do visível

a floração que se espera de um olhar

mas uma imagem pobre ancorada no silêncio

 

esse rosto volta-se no mesmo movimento

que o encerra na distância.

O que fizemos dele arrasta-se como o mar

prematuramente inclinado sobre o chão

 

o rosto é um feixe de memória seca

 

é assim que o deserto reflecte as cidades

sem a consciência aquática

das coisas intocadas.

 

In "Animais da Terra"

Editora Limiar

 

Rosa Alice Branco

(N.1950)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quinta-feira, 7 de Outubro de 2021

Recordando... Fernando Namora

ANTÓNIO, É PRECISO PARTIR!

António, é preciso partir!
O moleiro não fia,
a terra é estéril,
a arca vazia,
o gado minga e se fina.
António, é preciso partir!
A enxada sem uso,
o arado enferruja,
o menino quer pão, a tua casa é fria.
É preciso emigrar!
O vento anda como doido – levará o azeite;
a chuva desata noite e dia – inundará tudo;
e o lar vazio,
o gado definhando,
a morte e o frio por todo o lado,
só a morte, a fome e o frio por todo o lado, António!

É preciso embarcar!
Badalão! badalão! – o sino!

já chora a despedida.
Os juros crescem;
o dinheiro e o rico não têm coração.
E as décimas, António?
Ninguém perdoa – que  mais para vender?
Foi-se o cordão,
foram-se os brincos,
foi-se tudo!
A fome espia o teu lar.
Para quê lutar com a braveza da terra,
com a indiferença do Céu,
com tudo, com a morte, com a fome, com a terra,
com tudo!
Árida, árida a vida.
António, é preciso partir!
António partiu.
E em casa, tudo ficou sem jeito, desamparado, vazio.
Ficou a solidão.

 

In “As Frias Madrugadas”

 

Fernando Namora

(1919-1989)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sexta-feira, 1 de Outubro de 2021

Recordando... Rui Knopfli

TESTAMENTO

 

Se por acaso morrer durante o sono

não quero que te preocupes inutilmente.

Será apenas uma noite sucedendo-se

a outra noite interminavelmente.

 

Se a doença me tolher na cama

e a morte aí me for buscar,

beija Amor, com a força de quem ama,

estes olhos cansados, no último instante.

 

Se, pela triste monotonia do entardecer,

me encontrarem estendido e morto,

quero que me venhas ver

e tocar o frio e sangue do corpo.

 

Se, pelo contrário, morrer na guerra

e ficar perdido no gelo de qualquer Coreia,

quero que saibas, Amor, quero que saibas,

pelo cérebro rebentado, pela seca veia,

 

pela pólvora e pelas balas entranhadas

na dura carne gelada,

que morri sim, que me não repito,

mas que ecoo inteiro na força do meu grito.

 

In "Memória Consentida: 20 Anos de Poesia 1959-1979"

Imprensa Nacional-Casa da Moeda

 

Rui Knopfli

(1932-1997)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito

.Eu

.pesquisar

 

.Novembro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
26
27
28
29

.Ano XV

.posts recentes

. Recordando... Jorge Vieir...

. Recordando... Álvaro Feij...

. Recordando... Francisco B...

. Recordando... António Fra...

. Recordando... Camilo Pess...

. Recordando... Ana Fonseca

. Recordando... Irene Lisbo...

. Recordando... Pedro Tamen

. Recordando... Glória de S...

. Recordando... Rosa Alice ...

.arquivos

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds