Sábado, 31 de Agosto de 2019

Recordando... Rita Wemans

INSEGURANÇAS

 

A lápis escrevo o que surge

num confuso emaranhado

de ideias indefinidas

é quase como pescar num cardume

um peixe de cada vez e

ficar a olhar para ele, como

se reflectisse a minha vida.

Escrevo a lápis porque já

nada para mim é certo

E porque me perco neste mundo

Só de ideias, fantasias e considerações

Não sei mais o que penso

Acerca das coisas às

vezes detesto-me por isso

 

In “Enchamos tudo de Futuros”

Editora Sopa de Letras

 

Rita Wemans

(1982-2002)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Domingo, 25 de Agosto de 2019

Recordando... Vitorino Nemésio

ATÉ SEMPRE

 

Perdeste a lágrima, menino?

Quem afligiu a tua bola?

Pega lá vida, faz o pino:

Sempre o contrário nos consola.

 

A vida é péla, rasga a vida,

Que em mim já antes papel é.

Vê como a levo de vencida

Desde que nele escrevo, até...

 

Sempre, menino, até sempre!

No bibe o corpo; deixa! Lava-se

E não te esqueças, chuta sempre!

(Não chegou a chorar, mas preparava-se).

 

31.7.59

 

In “O Verbo e a Morte”

Morais Editora - 1959

 

Vitorino Nemésio

(1901-1978)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019

Recordando... Políbio Gomes dos Santos

VOZ QUE ESCUTA

 

Chamam-me lá em baixo.

São as coisas que não puderam decorar-me:

As que ficaram a mirar-me longamente

E não acreditaram;

As que sem coração, no relâmpago do grito,

Não puderam colher-me.

Chamam-me lá em baixo,

Quase ao nível do mar, quase à beira do mar,

Onde a multidão formiga

Sem saber nadar.

Chamam-me lá em baixo

Onde tudo é vigoroso e opaco pelo dia adiante

E transparente e desgraçado e vil

Quando a noite vem, criança distraída,

Que debilmente apaga os traços brancos

Deste quadro negro - a Vida.

Chamam-me lá em baixo:

Voz de coisas, voz de luta.

É uma voz que estala e mansamente cala

E me escuta.

 

In “As Três Pessoas”

Portugália Editora

 

Políbio Gomes dos Santos

(1911-1939)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Terça-feira, 13 de Agosto de 2019

Recordando... Sandra Augusto França

QUATRO GRITOS PARA UM LONGO SILÊNCIO

 

IV

 

tenho um longo rosário de

datas com que os amigos

se habituaram a ver-me tricotar os dias,

espreitando-os

por entre malhas indecisas.

 

ouço o ruído da minha própria maresia

assolando

uma constelação encoberta sob a névoa

deste eterno silêncio.

 

depois uma ave sobrevoou tudo isto em círculos

insistentemente.

 

foste.

 

quando eu seria capaz de

bordar a fios de água

este amor.

 

In “Estações”

Editora Difel - 1ª edição - 1998

Pág. 48

 

Sandra Augusto França

(N.1971)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quarta-feira, 7 de Agosto de 2019

Recordando... Teresa Balté

FLUXO

 

1.

bater à porta e virmos nós abrir

atravessar os corredores do tempo

redescobrir a casa onde vivemos

em outra incarnação há quantos séculos

o sol na pedra a árvore no pátio

sem folhas no inverno o muro gasto

a pausa do meu ombro no teu hálito

antes da consciência do silêncio

voltar então a mim não há memória

além das coisas onde nos perdemos

não as escutamos já ─ quem as procura?

que força nos investe a transitória

imagem que negamos de nós mesmos

que vida permanece e continua?

 

In “Mediações”

Edições Contexto

 

Teresa Balté

(N.1942)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Quinta-feira, 1 de Agosto de 2019

Recordando... Vítor Nogueira

SEMENTES

 

É claro que me lembro. Havia dois atalhos

pelo meio do pinhal, direcções espantosamente

precisas, animais que não voltei a ver.

 

Enquanto as colheitas amadureciam nos campos,

havia talismãs pendurados nas árvores e mercúrio

para tratar certas lesões, uma peça vital

do equipamento. Havia girassóis à volta da casa

e as palavras imortais dos espantalhos, uma forma

de evitar que endoidecêssemos. E havia um muro

que era preciso saltar, a manhã gloriosa

da escalada, a ciência das grandes migrações.

 

Mas não vale a pena entrar em mais detalhes.

Este é o meu corpo. Esta é a minha mente.

Conhecem-se desde a infância e cumpriram pena juntos.

 

Do futuro nada sei. Apenas que vem aí.

 

In “Segunda Voz”

Averno - 2014

 

Vítor Nogueira

(N.1966)

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito

.Eu

.pesquisar

 

.Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Visitas desde Agosto.2008

contador grátis

.Ano XIII

.posts recentes

. Recordando... Vasco Costa...

. Recordando... Edgar Carne...

. Recordando... Al Berto

. Recordando... António Fei...

. Recordando... Fernando As...

. Recordando... Saúl Dias

. Recordando... Cristovam ...

. Recordando... Pedro Homem...

. Recordando... António Cor...

. Recordando... Al Berto

.arquivos

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds