Quinta-feira, 31 de Outubro de 2013

Recordando... Soror Madalena da Glória

DÉCIMAS

 

Se por dar lustre aos pesares
Vossas lágrimas teimosas
Correm por margens de rosas,
Porque não cabem nos mares,
A submergir esses ares
Subiam rios crescendo,
E certo o naufrágio sendo,
A fineza deslustrais,
Porque podendo amar mais,
Deixareis de amar morrendo.

 

Deixai que o mar se dilate,
Que o rio se precipite,
Que o vento se fortifique,
Que em água a nuvem desate,
Sem que vós neste combate
Balas de neve esgrimindo,
Que as estrelas vão ferindo,
De neve e fogo tomeis
As armas com que ofendeis,
De amor os raios cobrindo.

 

In “Cem  Poemas Portugueses no Feminino”
Selecção, organização e introdução de José Fanha e José Jorge Letria

Editora Terramar

 

Soror Madalena da Glória 

1672 – ??

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sexta-feira, 25 de Outubro de 2013

Recordando... Maria Almira Medina

O MENINO E A FLOR

 

Era uma vez um menino

Era uma vez o papão
Era uma vez milhões de homens
cobertos de maldição...

Medalhas de oiro
foguetes
bandeirinhas de mil cores
flores de papel aos centos
diplomas e honrarias

tronos penas de pavão
homenagens monumentos
discursos
desfalques
roubos
assassinatos
infâmias
ah! negreiros do meu tempo
traficantes e falsário
permitam o céu às aves
deixem crescer o menino
com uma flor no coração!

Era uma vez um menino
Era uma vez o papão
Era uma vez milhões de homens
cobertos de maldição...

A mentira anda na rua
passeia na praça pública
puxa os cabelos às moças
faz caretas
piruetas
e trejeitos
grita
cospe nas estrelas
rasga o menino
e arranca dele uma flor

que pisa a pés que desfaz!
Senhores polícias
não deixem

violar um coração
algemem a violadora
apanhem a flor do chão!

Era uma vez um menino
Era uma vez o papão
Era uma vez milhões de homens
cobertos de maldição...

 

In “Antologia da Poesia Feminina Portuguesa”

Edições do Jornal do Fundão

 

Maria Almira Medina

N. 1920

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Sábado, 19 de Outubro de 2013

Recordando... Maria do Céu Brito

O CORPO É TODAS AS COISAS

 

O corpo é todas as coisas
menos a luz que resplandece do teu olhar
menos o azul

que não está nas coisas nem no céu primaveril que se abre em rosa
nem nas águas cintilantes do oceano
nem nos teus olhos iluminados
pela pueril fragrância das glicínias

todas as coisas
são o universo inteiro que vai além
das coisas que vemos
suspensas nos pilares do tempo
ou as que não vemos por estarem ocultas na ficção dos espelhos
sempre o corpo
será a perpetuação de todas as coisas
na brevidade dos instantes

menos o nada que nada é fora de si próprio

menos o absoluto
espaço desabitado para lá do portal dos deuses

menos o amor
sempre em viagem na errância do desejo

sempre o corpo será
todas as coisas ígneas a incendiar
a noite e o firmamento incerto

sempre as mãos semearão a pedra entre vagas luas
e os lábios sulcarão os regos do corpo entreaberto
com arados de sangue de saliva e de sémen
sempre o corpo aspirará a ser liberto das cisternas
do medo onde mergulha as raízes

todas as coisas nunca serão no corpo
todas as coisas na sua infinita falta de si mesmo.

 

In “Cem  Poemas Portugueses no Feminino”
Selecção, organização e introdução de José Fanha e José Jorge Letria

Editora Terramar

 

Maria do Céu Brito

N. 1966

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | ler comentários (1) | favorito
Domingo, 13 de Outubro de 2013

Recordando... Regina Gouveia

O SILÊNCIO DAS PEDRAS

 

Gosto do silêncio das pedras

Mudas, falam através de testemunhos

de estratos e fissuras, de formas e de cor,

que permitem chegar ao seu passado

de muitos milhões de anos -

aos ventos que as fustigaram,

às águas que as arrastaram,

às elevadas pressões e temperaturas

que suportaram na epopeia da sua formação.

Gosto do silêncio das pedras que, mudas,

conservam na memória

os seres vivos com quem coabitaram

dos ínfimos, aos poderosos, passando pelos humanos

que ao longo de toda a história

tantas vezes as moldaram com lágrimas e com suor.

 

Gosto do silêncio das pedras

tantas vezes pisadas no chão,

pedras que não choram,

ao contrário dos meus olhos que nelas se demora,.

O coração, mudo como as pedras,

não encontro outra forma de falar.

 

In “Entre Margens”

Editora Lua de Marfim

 

Regina Gouveia

N. 1945

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Segunda-feira, 7 de Outubro de 2013

Recordando... Leonor de Almeida

POSSE

 

Vem cá! Assim, verticalmente!
Achega-te... Docemente...
Vou olhar-te... E, no teu olhar, colher
promessas do que quero prometer,
até à síncope do amor na alma!
Colemos as mãos, palma a palma!
A minha boca na tua, sem beijo...
Desejo-te, até o desejo
se queixar que dói.

 

E sou tua, assim, como nenhuma foi!

 

(Caminhos Frios)

 

In “Poesia Portuguesa Erótica e Satírica”
Organização, prefácio e notas de Natália Correia
Editora Antígona/Frenesi

 

Leonor de Almeida

N. 1915

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito
Terça-feira, 1 de Outubro de 2013

Recordando... Maria do Rosário Pedreira

DIZ-ME O TEU NOME

 

Diz-me o teu nome - agora, que perdi
quase tudo, um nome pode ser o princípio
de alguma coisa. Escreve-o na minha mão

 

com os teus dedos - como as poeiras se
escrevem, irrequietas, nos caminhos e os
lobos mancham o lençol da neve com os
sinais da sua fome. Sopra-mo no ouvido,

 

como a levares as palavras de um livro para
dentro de outro - assim conquista o vento
o tímpano das grutas e entra o bafo do verão
na casa fria. E, antes de partires, pousa-o

 

nos meus lábios devagar: é um poema
açucarado que se derrete na boca e arde
como a primeira menta da infância.

 

Ninguém esquece um corpo que teve
nos braços um segundo - um nome sim.

 

In “Nenhum Nome Depois”
Gótica Editora

 

Maria do Rosário Pedreira

N. 1959

 

publicado por cateespero às 00:00
link do post | Deixe seu comentário | favorito

.Eu

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.Visitas desde Agosto.2008


contador de visitas gratis

.Ano XI

.Estão neste momento...

.posts recentes

. Recordando... Edmundo de ...

. Recordando... Célia Moura

. Recordando... Pedro Homem...

. Recordando... Afonso Lope...

. Recordando... Nuno Júdice

. Recordando... Luís Filipe...

. Recordando... Políbio Gom...

. Recordando... Gastão Cruz

. Recordando... António Lad...

. Recordando... Eugénio de ...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds